A XP anunciou a aquisição da participação majoritária na fintech Antecipa, que atua no mercado de crédito para recebíveis. A Antecipa também oferece tecnologia para apoiar as empresas na gestão de seu fluxo de caixa. Trata-se de mais um movimento da XP para se fortalecer no mercado corporativo, com foco em pequenas e médias empresas. No começo do mês a empresa havia anunciado a aquisição da Flipper, com foco no open banking.

De acordo com o comunicado ao mercado, os fundadores da Antecipa manterão sua independência na gestão do negócio, mas contarão com o apoio da infraestrutura da XP para acelerar o seu crescimento.

A plataforma da Antecipa integra fornecedores e clientes, viabilizando operações de crédito entre as empresas sem a intermediação de uma instituição bancária. taxa de desconto – equivalente ao juro – em cada operação de antecipação de recebíveis é calculada dinamicamente a partir das informações disponíveis no sistema, por meio de um algoritmo proprietário que busca otimizar o fluxo de caixa da empresa.

De acordo com Bruno Constantino, CFO da XP, o mercado de recebíveis é marcado por muitas ineficiências, o que permite à XP otimizar estruturas de custos e apoiar as empresas no processo de retomada. “Historicamente, as grandes instituições têm mantido o equilíbrio de poder com as empresas neste mercado. Nosso objetivo é reduzir concentração promovendo uma alternativa mais ágil, transparente e inovadora para nossos clientes”, declarou.

“O financiamento da cadeia de valor tem sido tradicionalmente atendido pelos bancos no Brasil, mas frequentemente combinado a formas menos atrativas de financiamento. Nossa decisão de parceria com a XP está alinhada à nossa abordagem centrada no cliente”, comentou Camilo Telles, sócio da Antecipa.

A conclusão da transação depende da aprovação do Banco Central.

XP projeta crescimento de 50% no segundo trimestre

A XP anunciou suas estimativas preliminares de resultados do segundo trimestre. A expectativa é que a receita tenha crescido entre 50% e 60% no período em comparação com 2019, podendo ter chegado a R$ 1,9 bilhão. A margem líquida pode ter chegado a 28% (contra 20% em 2019) e o resultado líquido pode ter atingido R$ 520 milhões, contra R$ 228 milhões no ano passado.

Os acionistas da XP anunciaram uma oferta secundária de ações na Nasdaq. O fundo general Atlantic, que investiu na XP em 2012, e a XP Controle e Paerticipações, que representa os fundadores, planejam oferecer ao mercado 19,5 milhões de ações. O valor da ação no fechamento da Nasdaq ontem foi de US$ 43,52, o que leva a oferta ao valor total de US$ 850,1 milhões, ou R$ 4,6 bilhões. Em 29012 a General Atlantic investiu R$ 430 milhões na XP.

Leia as últimas notícias no Inovação Aberta

Crédito da foto: Konstantin Grishin

Paulo Roberto Silva

Paulo Roberto Silva é jornalista e empreendedor. Graduado em Jornalismo pela ECA USP e mestre em Integração da América latina pelo PROLAM USP.