O Enjoei atualizou nesta semana, em 6 de outubro, o prospecto preliminar de seu IPO na CVM, com detalhes sobre o preço por ação a ser perseguido e cenários de oferta. O prospecto trabalha com quatro possibilidades de emissão de ações, que levariam o seu valuation a patamares entre R$ 710 milhões e R$ 965 milhões.

A estimativa de preço por ação para a oferta está entre R$ 10,25 e R$ 13,75, mas ainda passará por um processo de bookbuilding para definição final. O bookbuilding é uma metodologia de precificação de oferta pela qual os bancos de investimento procuram investidores qualificados para orçar quanto eles pagariam por uma determinada emissão de títulos. A metodologia foi usada, por exemplo, na emissão de units do Banco Inter.

De acordo com o prospecto, o Enjoei conta com 149.533.380 ações ordinárias (no Novo Mercado não podem ser emitidas ações preferenciais), e pode aumentar o número de ações em até 235.533.382. Considerando um preço médio por ação de R$ 12,00, o capital social atual é estimado em R$ 159,8 milhões.

Quais são os cenários de ofertas de ações do Enjoei

O primeiro cenário, mais conservador, prevê a emissão primária de 45.935.000, mais a venda de ações dos acionistas atuais. Neste cenário, o valuation da empresa fica em R$ 710 milhões e 85,7% do capital do Enjoei estará em circulação no mercado,

No segundo cenário, em que são ofertadas ações adicionais, haverá a emissão primária de 52.673.559. Neste cenário, o valuation do Enjoei sobe um pouco, para R$ 791,8 milhões, e 86,69% do capital social estará em circulação no mercado.

Há um terceiro cenário, no qual são ofertadas ações suplementares. Neste a emissão primária é de 60.374.768 ações, o valuation do Enjoei vai para R$ 884,3 milhões e 87,38% do capital social estará em circulação no mercado.

No cenário mais agressivo, no qual são ofertadas ações adicionais e suplementares, a emissão primária vai para 67.113.327. Neste cenário o valuation chega a R$ 965 milhões, e 86,48% do capital social estará em circulação no mercado.

Todos os cenários preveem a venda de ações que estão em poder os acionistas atuais. O fundo Monashees, por exemplo, reduzirá a quantidade de ações em poder de 23 milhões para 9,2 milhões nos cenários mais conservadores ou 8,7 milhões nos mais agressivos.

Já os fundadores do Enjoei, embora também façam ofertas de ações, manterão a maior parte delas consigo. Ana Luiza Maclaren deve reduzir suas ações de 17,4 milhões para 15,7 milhões ou 15,3 milhões, Tiê Lima reduzirá de 13,1 milhões para 11,8 milhões ou 11,6 milhões, e Arnaldo Goldenberg reduzirá de 12 milhões para 10,2 milhões ou 9,9 milhões.

IPO deve acontecer até 29 de outubro

O processo de bookbuilding deve se encerrar até 27 de outubro, quando o Enjoei deverá anunciar o preço por ação definitivo. Neste cenário saberemos qual será o valuation mínimo esperado pela empresa no IPO. As ações do Enjoei devem começar a ser negociadas na B3 em 29 de outubro.

O IPO do Enjoei deve acontecer antes do da Méliuz, previsto para 5 de novembro.

Leia as últimas notícias no Inovação Aberta

Crédito da foto: Image by Free-Photos from Pixabay

Paulo Roberto Silva

Paulo Roberto Silva é jornalista e empreendedor. Graduado em Jornalismo pela ECA USP e mestre em Integração da América latina pelo PROLAM USP.