A quarta edição do Vallourec Open Brasil, programa que seleciona startups para desenvolver projetos em conjunto com as empresas Vallourec no Brasil, está com as inscrições abertas . A procura é por empreendedores que possam resolver questões relacionadas ao aumento de eficiência operacional na unidade Mineração da Empresa.

Podem participar startups de base tecnológica no Brasil. As interessadas deverão preencher o formulário disponível no site do programa até o dia 30 de setembro. Serão selecionadas na primeira fase aquelas cuja atuação e modelo de negócio estiverem em sintonia com pelo menos um dos desafios propostos. O resultado será anunciado no dia 9 de outubro.

Para participar da segunda fase da seleção, as startups deverão enviar um vídeo pitch de no máximo cinco minutos no formato MP4 com uma apresentação da startup e uma proposta de projeto focada em um dos desafios. Os vídeos devem ser enviados entre os dias 11 e 24 de outubro. O resultado da seleção será divulgado no dia 30 de outubro.

De 23 a 27 de novembro, as startups selecionadas na segunda fase terão cinco dias para trabalhar com a Vallourec, ter acesso a mais informações relacionadas aos desafios e entender melhor o negócio da Empresa. No dia 27, acontecem as apresentações da proposta de trabalho elaborada durante a imersão para uma banca de jurados composta por representantes da Vallourec, em um Pitch Day.

Precisa de ajuda com o seu pitch? Faça o curso O Pitch Perfeito, do mentor Edson Mackenzie

De 11 de janeiro a 31 de junho de 2021 é o período do desenvolvimento, etapa onde as startups selecionadas no Pitch Day serão contratadas. É o momento de iniciar a prova de conceito da solução proposta pelos participantes com o acompanhamento de profissionais indicados pela Vallourec. Em julho, acontece o workshop de encerramento, com a apresentação final do projeto desenvolvido para os gestores da Vallourec.

Desafios são em geotecnia e engenharia mineral

As startups podem submeter seus projetos em três diferentes desafios. O primeiro é a avaliação do teor de ferro e/ou sílica de uma amostra de polpa de concentrado de minério de ferro na fração fina (pellet feed). “Atualmente o tempo de resposta de qualidade do produto pellet feed é de 8h (análise química), o que dificulta uma tomada de decisão rápida quando há teor de ferro/sílica fora da especificação desejada”, explica Gabriel Cordeiro, engenheiro de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da Vallourec.

O segundo desafio é a análise prévia de distribuição granulométrica de uma determinada porção de minério. Gabriel Cordeiro informa que essa identificação pode ser possível cruzando características tipológicas com a cor e a textura do material. Com essa pré-identificação, se ganha agilidade no mapeamento para a confecção do modelo geológico e para o planejamento das amostras de geologia em curto prazo.

Já o terceiro e último desafio é desenvolver um software para integração dos dados e diagnósticos em tempo real das estruturas geotécnicas da Mina Pau Branco. A dificuldade está em concentrar todo o banco de dados existente em uma plataforma única e de fácil acesso, proporcionando agilidade, avaliações assertivas e respostas eficientes aos problemas apresentados no dia a dia.

Em outra iniciativa, a Vallourec apoiou projetos de combate à covid-19.

Leia as últimas notícias no Inovação Aberta

Crédito da foto: Image by Bishnu Sarangi from Pixabay

Paulo Roberto Silva

Paulo Roberto Silva é jornalista e empreendedor. Graduado em Jornalismo pela ECA USP e mestre em Integração da América latina pelo PROLAM USP.