Um dia após anunciar a aquisição da Postmates, o Uber anunciou o início do serviço de delivery de mercado em vários países da América Latina, inclusive o Brasil. A operação foi viabilizada graças à aquisição da startup chilena Cornershop no ano passado, que ainda aguarda aprovação das autoridades regulatórias chilenas.

Os seus concorrentes na disputa por se tornarem super apps, Rappi e iFood, já oferecem o serviço. O iFood começou no início da pandemia, e o Rappi já oferece o serviço há mais tempo. A B2W também disputa este mercado, com a aquisição do Supermercado Now. O supermercado online Home Refil também atravessa um período de crescimento acelerado.

A operação do Uber Eats está em crescimento por conta da pandemia. No primeiro semestre ela já havia apontado crescimento de 52% em relação a 2019, apesar de seu EBTDA ainda permanecer negativo. Os resultados preliminares anunciados ontem mostram um crescimento de 100% dos pedidos do aplicativo de delivery no segundo trimestre

“O Uber começou com a premissa que as pessoas devem poder chegar mais facilmente aos lugares que precisa ir. Desde então, isso evoluiu para conectar as pessoas à comida de seus restaurantes locais favoritos, e estamos entusiasmados em trazer nossa experiência em produtos para o mundo dos supermercados ao lado da equipe da Cornershop”, declarou Raj Beri, Head global de Supermercados do Uber.

“A Uber é o parceiro perfeito para oferecer compras de supermercado sob demanda de parceiros comerciais incríveis, ao toque de um botão, em todas as Américas”, complementou Oskar Hjertonsson, fundador e CEO da Cornershop.

Leia as últimas notícias no Inovação Aberta

Crédito da foto: Divulgação Uber

Paulo Roberto Silva

Paulo Roberto Silva é jornalista e empreendedor. Graduado em Jornalismo pela ECA USP e mestre em Integração da América latina pelo PROLAM USP.