Todos vocês conhecem o Porta dos Fundos como o canal de humor que fez história no YouTube, ao ser o primeiro a levar produção profissional à plataforma. Mas, para além dos debates sobre o conteúdo, o Porta dos Fundos é um negócio baseado em conteúdo, e um negócio digital. Por isso, conversamos com o Crocas, CEO do Porta, para entendermos qual o seu modelo de negócio.

Crocas apresentou o Porta como uma empresa de criação, voltada para levar conteúdo e entretenimento à diferentes “janelas”, como ele chama as plataformas em que estão presentes. E não só pelos esquetes de humor, mas com projetos como Que História é Essa, Porchat e o Greg News.

Para entender o tom que o Porta dos Fundos costuma usar, Crocas diz que faz sempre duas perguntas:

  1. O que a audiência está fazendo quando não está assistindo ao Porta?
  2. Qual assunto queremos levar as pessoas a conversarem hoje?

A conversa avançou por temas como uso de dados, entendimento da audiência, tom de voz do conteúdo, estratégia de distribuição e curadoria. E pelos resultados, como o crescimento de 65% do negócio em 2020, e de 115% nas visualizações do conteúdo nos diferentes canais em que o Porta dos Fundos está presente.

Este episódio é um oferecimento do curso de Mindset Ágil da wbrain. Acesse o link https://hotm.art/agile-inovacaoaberta, e faça já sua inscrição.

Artigos Relacionados

Crédito da foto: Divulgação Porta dos Fundos

Paulo Roberto Silva

Paulo Roberto Silva é jornalista e empreendedor. Graduado em Jornalismo pela ECA USP e mestre em Integração da América latina pelo PROLAM USP.