O BiotechTown, hub voltado para a área de biotecnologia, investiu em duas novas estruturas. Trata-se do Open Lab e do CMO (Contract Manufacturing Organization), que visam atender demandas de laboratório em projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação e de serviços customizados para a fabricação de produtos para a saúde.

“Neste ambiente de inovação e tecnologia, queremos crescer junto com o mercado. E qualquer tipo de empresa ou pesquisador precisa de um ambiente propício para desenvolver o seu projeto ou pesquisa. E é isso que buscamos com o BiotechTown, um ambiente único, onde os profissionais podem criar conexões e potencializar a geração de negócios” afirma Bruno Andrade, CEO do BiotechTown.

O Open Lab possui licença da ANVISA para a Resolução RDC 11/2012, que trata de laboratórios de análise de produtos. Foi criado para a utilização de pesquisadores e empresas de todos os portes, de startups a organizações já estabelecidas, tanto nas áreas de saúde, quanto em ciências da vida, como é o caso dos setores de alimentos, cosméticos, agro e veterinário. São 4 laboratórios (Inovação Tecnológica, Microbiologia, Cultivo Celular e Biologia Molecular), além de toda a infraestrutura suporte com área de lavagem, higienização e esterilização de materiais.

Os laboratórios possuem equipamentos com a tecnologia Thermo Fisher Scientific, adequados à elaboração e execução de projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação em biotecnologia. O espaço possui ainda ultrafreezers -80 ºC que podem realizar o armazenamento de determinadas vacinas contra o coronavírus.

“Já existem várias empresas e pesquisadores interessados em vir para cá. Acredito que estamos dando um passo extremamente importante com relação ao desenvolvimento de produtos aqui no Brasil. Trata-se de um setor que passa por grandes dificuldades, já que os principais laboratórios disponíveis para esse público encontram-se dentro de grandes universidades, muitas vezes com acesso restrito para empresas”, afirma. “Estamos oferecendo um acesso desburocratizado e modelo de negócio flexível, permitindo operações customizadas a custos previsíveis”, ressalta Andrade.

Já o CMO é uma planta produtiva projetada para fabricação de alta performance em escala industrial, ambiente regulado, com padrões estabelecidos de segurança da informação e de propriedade intelectual. ”Não existe modelo igual na América Latina. São 495 m² de área certificada com salas de produção, laboratórios, salas de lavagem, higienização, embalagem e rotulagem, almoxarifados, entre outros, para fabricação de produtos para saúde, seguindo todas as exigências da ANVISA. “Temos, inclusive, condições técnico-operacionais para receber atividades de fabricação de produtos para diagnóstico in vitro da Covid-19 além de outras doenças infectocontagiosas, tais como dengue, Zika e HIV”, informa Andrade.

Artigos Relacionados

Crédito da foto: Divulgação Biotechtown

Paulo Roberto Silva

Paulo Roberto Silva é jornalista e empreendedor. Graduado em Jornalismo pela ECA USP e mestre em Integração da América latina pelo PROLAM USP.