A fintech de crédito a55 planeja injetar mais de R$250 milhões em créditos no mercado de startups, tendo como parceiros e investidores âncora o boostLAB, hub de inovação aberta do BTG Pactual, e fundos geridos pela Empírica, gestora especializada em crédito estruturado. 

Na parceria, o boostLAB entrará com financiamento e a55 fica responsável pela busca e atração das empresas, análise de crédito, utilizando modelo de risco desenvolvido pela própria startup, e pelo acompanhamento do pagamento dos empréstimos. A parceria será viabilizada por meio de um Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) estruturado pela gestora Empírica Investimentos, que poderá contar também com outros investidores.

“Nosso propósito é ajudar empreendedores com capital para crescimento de forma sustentável e de maneira mais propícia para empresas que possuem tecnologia em seus modelos de negócio do que as soluções tradicionais”, explica André Wetter, presidente e cofundador da a55. 

Fundada em 2017, a fintech é especializada em analisar e viabilizar crédito para empresas digitais, atuando principalmente com Saas e e-commerces. No total, a a55 já emprestou mais de R$ 200 milhões para empresas no Brasil e no México, impulsionou mais de 200 negócios e conta com mais de 12 mil clientes cadastrados em sua plataforma. 

“Buscamos parceiros e investidores que compartilhem da nossa visão de fomentar o crescimento de empresas de tecnologia no Brasil. Essas empresas crescem a uma velocidade exponencial e precisam de crédito para viabilizar esse crescimento, criando empregos e trazendo inovação para o país”, acrescenta Wetter.

Guilherme Bianque, diretor de crédito do BoostLAB explica que o objetivo é aumentar o leque de opções para as startups se financiarem e continuarem seu crescimento. ”O financiamento de carteiras de fintechs é mais uma das iniciativas relacionadas ao nosso posicionamento como banco das startups. No caso da A55, além de viabilizar suas operações, os recursos fomentarão o financiamento de empresas tech, gerando um benefício ainda mais amplo ao ecossistema de inovação brasileiro”, detalha. 

Já a Empírica, com mais de R$ 4,2 bilhões de ativos sob gestão, gerencia mais de 40 fundos de crédito privado no mercado, muitos deles FIDCs em parceria com fintechs. “Nossa relação com a a55 começou em 2018 e estamos animados com o caminho que está seguindo. A tese do fundo vai de encontro com a estratégia da Empírica de cada vez mais conectar investidores a quem necessita de crédito e, sem dúvida, a fintech é uma grande parceira para nos ajudar a atingir este objetivo”, diz Giuliano Longo, Sócio-Diretor de Produtos da asset. 

Artigos Relacionados

Crédito da foto: Divulgação BTG Pactual

Paulo Roberto Silva

Paulo Roberto Silva é jornalista e empreendedor. Graduado em Jornalismo pela ECA USP e mestre em Integração da América latina pelo PROLAM USP.